Skip to content

O Evangelho para os Cristãos

Nos círculos cristãos, é muito comum assumir que o evangelho é algo apenas para não cristãos. Nós presumimos que o evangelho é uma série de doutrinas básicas do ABC que cristãos não precisam ouvir ou estudar uma vez que são convertidos. Em vez disso, eles devem avançar para além do evangelho, para doutrinas mais “avançadas”. Mas em Gálatas, a grande declaração do evangelho foi escrita para crentes, que não enxergaram as implicações do evangelho para as questões da vida os confrontando. Paulo solucionou a desunião e a exclusividade racial entre eles não com uma simples exortação para serem melhores cristãos, mas chamando-os para viverem as implicações do evangelho. Então, cristãos precisam do evangelho tanto quanto não cristãos. Seus problemas vêm porque tendem a perder e a esquecer o evangelho. Fazem progresso apenas quando compreendem e aplicam continuamente o evangelho de maneiras mais profundas.

O evangelho nos mostra que nosso problema espiritual consiste não apenas em falhar em obedecer a Deus, mas também em confiar em nossa obediência para nos fazer totalmente aceitáveis a Deus, a nós mesmos e a outros. Todo tipo de falha de caráter procede desse impulso natural de sermos nosso próprio salvador por meio de nosso desempenho e conquista. Por um lado, personalidades orgulhosas e desdenhosas procedem de basear sua identidade em seu desempenho e em julgar que está sendo bem-sucedido. Mas por outro lado, personalidades desencorajadas e auto-depreciativas também procedem de basear sua identidade em seu desempenho e julgar que está falhando.

Crer no evangelho não é apenas a forma de entrar no reino de Deus; é a forma de lidar com cada obstáculo e crescer em cada aspecto. O evangelho não é apenas o “ABC”, mas o “A a Z” da vida cristã. O evangelho é a forma pela qual qualquer coisa é renovada e transformada por Cristo – seja um coração, um relacionamento, uma igreja, ou uma comunidade. Todos os nossos problemas procedem de uma falta de orientação pelo evangelho. Colocado positivamente, o evangelho transforma nossos corações, nosso pensar e nossa abordagem para absolutamente tudo. O evangelho da fé justificadora significa que enquanto cristãos são, em si mesmos, ainda pecadores e pecando, mas em Cristo, aos olhos de Deus, eles são aceitos e justos. Então, podemos dizer que somos mais maus do que jamais ousamos acreditar, porém, mais amados e aceitos em Cristo do que jamais ousamos esperar, exatamente ao mesmo tempo. Isso cria uma nova dinâmica radical para crescimento pessoal. Isso significa que quanto mais você vê suas próprias falhas e pecados, mais a graça de Deus se mostra preciosa, impressionante e maravilhosa para você. Mas por outro lado, quanto mais consciente você está da graça de Deus e da aceitação em Cristo, mais capaz é de abandonar suas negações e autodefesas e admitir as dimensões e o caráter do seu pecado.

Isso também cria uma nova dinâmica radical para a disciplina e a obediência. Primeiro, o conhecimento da nossa aceitação em Cristo torna mais fácil admitir que nós estamos manchados, porque sabemos que não seremos lançados fora se nós confessarmos as verdadeiras profundidades da nossa pecaminosidade. Segundo, isso torna a lei de Deus algo belo em vez de um fardo. Nós podemos usá-la para nos deleitarmos e imitarmos aquele que nos salvou, em vez de para ganhar sua atenção ou procurar seu favor. Nós agora corremos a corrida “pela alegria que está adiante de nós” em vez de “pelo medo que vem atrás de nós”.


Tradução graciosamente feita pelo cooperador Lucas Vasconcelos Pinto. Seja um tradutor voluntário.
Fonte: reformationtheology.com

Published inVida cristã