Skip to content

Pergunta 81 – O que é a Ceia do Senhor?

81. Pergunta. O que é a Ceia do Senhor?

Resposta. A Ceia do Senhor é uma ordenança do Novo Testamento, instituída por Jesus Cristo (1); pela qual dando e recebendo pão e vinho, de acordo com a ordem do Senhor, Sua morte é mostrada e os recebedores são, não de forma carnal nem corpórea, mas pela fé, feitos participantes de Seu corpo e sangue, com todos os Seus benefícios, ao alimento espiritual e crescimento em graça (2).

Versículo para Memorizar: I Co 11.26, “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha”.

É notável a observação que não chamamos essa ordenança “A Santa Ceia”. Chamamos a “Ceia do Senhor” por duas razões: 1). Essa ordenança é chamada simplesmente a “ceia” (Lc 22.20; Jo 13.4; 21.20) ou “ceia do Senhor” (I Co 11.20); 2). Não cremos que essa ordenança, mesmo sendo uma ordenança solene e nutre a nossa fé pela recordação do grande preço pago pela nossa salvação, não completa, não aumenta, não sela ou de outra forma comunica graça salvadora aos comungantes.

Os que crêem que as ordenanças da igreja comunicam a graça de uma forma ou de outra para melhorar, aumentar, ou confirmar a salvação chamam-nas de sacramentos. Um sacramento é: um sinal visível ou ação instituída por Cristo para dar graça. (Catecismo Católico); poderes que vem do Corpo de Cristo, qual é sempre viva e vivificante (Catechism of the Catholic Church, Ratzinger, pg. 316). Ainda mais pelos sacramentos “O próprio Cristo opera nelas para comunicar aquela graça que cada sacramenta significa … e são, necessárias para salvação” (Ratzinger, pg. 319).

Cremos que a salvação passada, presente e futura é pela graça de Deus por Cristo, portanto, as ordenanças não são fontes da graça e não fornecem mérito algum (imerecida). Rm 6.23, “o dom gratuito de Deus”; 3.24, “sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.”; I Tim 1.15, “Cristo…veio ao mundo, para salvar os pecadores.” A graça de Deus por Cristo é sem obras, Rm 11.5, 6. “Mas se é por graça, já não é pelas obras”; Ef 2.8,9; II Tim 1:9; Tito 3.5,6.

Você está em Cristo Jesus pelo arrependimento dos pecados e pela fé? Já está batizado e membro de uma igreja neotestamentária?

Versículo para Memorizar: I Co 11.26, “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha”.

81.1. A Ceia do Senhor é uma ordenança do Novo Testamento, instituída por Jesus Cristo (1); pela qual dando e recebendo pão e vinho, de acordo com a ordem do Senhor, Sua morte é mostrada e os recebedores são, não de forma carnal nem corpórea, mas pela fé, feitos participantes de Seu corpo e sangue, com todos os Seus benefícios, ao alimento espiritual e crescimento em graça (2).

I Coríntios 11.23-26, “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.”

A Ceia do Senhor é Uma Ordenança dada à Igreja Local. A Ceia foi uma ordem de Cristo à Igreja local para observar até a Sua vinda, I Cor 11.26. É para ser celebrada só com os membros daquela igreja que está administrando a ceia. A ceia da Páscoa foi com os doze discípulos, Mt 26.17,20; Mc 14.12,17; Lc 22.11,14. Todavia, depois de Judas sair (Jo 13.30), a Ceia do Senhor foi instituída.

Não busque uma instituição do Velho Testamento para ser membro dela. Essas instituições já serviram os seus propósitos. A instituição chamada por Jesus “a minha igreja” é uma instituição nova, do Novo Testamento. Não é uma reforma do tabernáculo ou do templo. O tabernáculo apontava a Cristo e a Sua obra maravilhosa. A igreja do Senhor Jesus Cristo é o Seu corpo e para os em Cristo O servirem em espírito e em verdade. A única semelhança das instituições do Velho Testamento para a Igreja no Novo Testamento é que foram estabelecidas por Deus. Nenhum ritual, cerimônia, hierarquia, modelo de governo, etc. das instituições do Velho Testamento são para a “minha igreja” do Novo Testamento.

É fato que tinha outros crentes de Jesus na cidade, mas a ceia era só com os onze. Tinha em Jerusalém, por exemplo, a mãe de Jesus, o dono do cenáculo, e outros seguidores de Jerusalém: Nicodemus, o cego curado (João 9). Tinha naquela época de Páscoa, muitos judeus em Jerusalém para observar a páscoa.

É pratico que a Ceia do Senhor seja somente com os membros. Só temos confiança que estamos observando a ceia como o Senhor a observou se estamos observando-a com os discípulos. Não podemos discernir sobre os membros das outras igrejas: I Co 11.31, “se nós nos julgássemos a nós mesmos”; 5.11, “com o tal nem ainda comais”; 5.12, “Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro?”; Jo 13.30, Judas “saiu logo” e não participou do memorial da ceia que Cristo instituiu.

Se alguém não está ajustado para estar na igreja, ajustado não está para participar da ceia do Senhor.

Versículo para Memorizar: I Co 11.26, “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha”.

81.2. A Ceia do Senhor é uma ordenança do Novo Testamento, instituída por Jesus Cristo (1); pela qual dando e recebendo pão e vinho, de acordo com a ordem do Senhor, Sua morte é mostrada e os recebedores são, não de forma carnal nem corpórea, mas pela fé, feitos participantes de Seu corpo e sangue, com todos os Seus benefícios, ao alimento espiritual e crescimento em graça (2).

I Coríntios 11.26, “Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo”?

Nenhuma ordenança é um sacrifício de Cristo. Transubstanciação é invenção romana em 1215 d.C.” (Doutrina Católica na Bíblia, p.31.). Pela invenção a ceia é a missa que ensina, “na missa, no momento em que o sacerdote pronuncia as palavras de consagração do pão e do vinho, estes mudam no sagrado corpo e sangue de Cristo”, Vincent Hornyold (por T.P. SIMMONS, p.467,468). Porém, Cristo fala palavras “são espírito e vida.” João 6.63, Os Católicos levam isto literalmente, qual deve ser entendido espiritualmente. (v. 63, “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que Eu vos disse são espírito e vida”). “O Justo viverá da fé”, Hb 10.38 (Hb 11.6; Rm 5.1).

A Ceia do Senhor também não é uma repetição do sacrifício de Cristo. Nenhum sacerdote pode repetir ou acrescentar a expiação feita já uma vez por Cristo. Disso a Palavra de Deus é clara: Hb 9.28, “oferecendo-se uma vez”; 10.9-18, v. 10, “feita uma vez”; v. 12, “oferecido para sempre um único sacrifício”; v. 14, “Uma só oblação”; v. 18, “Não há mais oblação pelo pecado”; Ver também: Rm 6.9,10; Hb 7.27; I Pe 3.18.

No Velho Testamento, os sacerdotes eram “de contínuo”, “junto ao altar”. Todavia, os sacerdotes do Novo Testamento, devem pregar o “Evangelho” I Co 9.13,14; Hb 10.9, “Tira o primeiro, para estabelecer o segundo.”

Cristo já se ofereceu fazendo salvação por muitos. Se não está nEle, não espera Ele vir e se oferecer uma outra vez. A próxima vez que Ele vier, virá como juiz. Na ocasião da primeira vez Ele veio como Salvador. Entre já nEle se arrependendo dos seus pecados e creia já em Cristo!

A Ceia do Senhor é um memorial simbólico. Um símbolo não tem poder de efetuar. Só serve para representar, evocar ou designar uma realidade, “fazer isto em memória de Mim”, (Lc 22.19; I Co 11.24,25, “é meu corpo”, “é meu sangue” Mt 26.26,28; Jo 6.63, “as palavras que Eu vos disse são espírito e vida”

A Ceia do Senhor é um de Cristo. Se é um memorial, logo Ele não está presente pois se faz memorial para os que não são presentes (Dr. Aníbal Pereira dos Reis, “A Missa”). Lc 22.19, “fazei isto em memória de mim”; I Co 11.24, “fazei isto em memória de mim”; 25, “todas as vezes que beberdes, em memória de mim”; Mt 26.26, “é meu corpo”; Mc 14.22; Lc 22.19; Mt 26.28, “é meu sangue”; Mc 14.22; Lc 22.20, “o novo testamento no meu sangue”.

A observação da ordenança da Ceia do Senhor não é para entrar em Cristo mas para ser observado pelos que já conhecem Cristo. Os discípulos já entraram em Cristo pela fé antes que observaram a primeira ceia.

Sendo que a ceia é um memorial – é simbólica.

Sendo que a ceia é um memorial de Cristo – é simbólica de Cristo.

“fazei isto em memória de Mim”

Versículo para Memorizar: I Co 11.26, “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha”.

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!