Skip to content

Pergunta 68 – Como podemos escapar da ira e maldição de Deus, merecidas por nós, por causa dos nossos pecados?

68. Pergunta. Como podemos escapar da ira e maldição de Deus, merecidas por nós, por causa dos nossos pecados?

Resposta. Para escaparmos da ira e maldição de Deus, merecidas por nós, por causa do pecado, temos que crer no Senhor Jesus Cristo (1), confiando só em Seu sangue e justiça. Esta fé é acompanhada pelo arrependimento da vida passada pecaminosa (2) e leva à santidade na vida cristã futura (3).

Versículo para Memorizar: João 3.16. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.

68.1. Resposta. Para escaparmos da ira e maldição de Deus, merecidas por nós, por causa do pecado, temos que crer no Senhor Jesus Cristo (1), confiando só em Seu sangue e justiça. Esta fé é acompanhada pelo arrependimento da vida passada pecaminosa (2) e leva à santidade na vida cristã futura.(3)

João 3.16. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.

A obra de Cristo pelos Seus é uma obra federal ou representante. Como na aliança do Velho Testamento era englobado o povo de Deus pelas promessas, os eleitos são representados por Cristo na Sua obra de salvação (Gl 2.20, “Já estou crucificado com Cristo”). Como o primeiro Adão representava todo homem na humanidade (Rm 5.12; I Co 15.47), assim o Segundo Adão representa todos os salvos (I Co 15.22,23, “os que são de Cristo”). Por Cristo ser feito “semelhante aos irmãos” (Hb 2.17) “contado com os transgressores” (Is 53.12) e uma “alma vivente” (I Co 15.45), Ele, junto com Seu povo, identificou-se uma única unidade diante da ira de Deus. Por Cristo representar todos os Seus é dito que os Seus são “crucificados com Cristo” (Gl 2.20), mortos com Ele (Rm 6.8), sepultados com Ele (Rm 6.4), vivificados com Ele (Cl 2.13), ressuscitados juntamente com Ele (Ef 2.6) e os fez assentar nos lugares celestiais Nele (Ef 2.6). A obra que Cristo fez, verdadeiramente representa “nós” (II Co 5.21).

A obra de Cristo “por nós” também foi vicária ou, em substituição (I Pe 3.18, “o justo pelos injustos”). Cristo não fez algo simplesmente bom para o beneficio de um outro, mas Ele tornou a ser, no próprio lugar, exatamente o que o outro era (Gl 4.4; Fl 2.7). Cristo, sendo feito como nós diante da lei (Gl 4.4) ficou sujeito à pena da justiça de Deus. Cristo, sendo feito “pecado por nós” (II Co 5.21) foi sujeito à morte. Sendo feito “semelhante aos irmãos” (Hb 2.17) a Sua obra absolveu “nós” da lei do pecado e da morte (Rm 8.3,4). Deus moeu Cristo pois Ele era “o castigo que nos traz a paz” (Is 53.4-6). Portanto, não há mais nenhuma condenação para os em Cristo (Rm 8.1).

A obra de Cristo “por nós” foi penal. Cristo, como representante de “nós” e sendo “feito pecado por nós” tem que sofrer as conseqüências do Seu povo (Is 53.4-8, “pela transgressão do meu povo ele foi atingido”; Mt 1.21, “Ele salvará o seu povo dos seus pecados”; Jo 17.9, Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.”). Entendemos isso pela Sua morte. Cristo foi obediente em tudo (Fl 2.7), e, portanto, não deve ser castigado. Cristo foi sem pecado (II Co 5.21), e, portanto, não deve morrer. Cristo é justo (I Pe 3.18), e, portanto, não deve ser desamparado pelo Pai. Todavia, Cristo foi castigado, morto e desamparado por Ele ser “feito pecado” pelos Seus (Lv 16.21; Is 53.6,12; Hb 9.28). Pela vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, os Nele são feitos justos diante de Deus (Rm 8.1,2).

A obra de Cristo “por nós” foi sacrificial (I Co 5.7, “…Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós”). Cristo foi a expiação do próprio pecado (Is 53.10) e, isso, voluntariamente (Jo 10.18; Hb 7.27). Cristo fez essa obra sacrificial como o Pai propôs (Rm 3.25) pela obra do Espírito Santo (Hb 9.14; Is 61.1). Essa obra sacrificial de Cristo foi uma obra redentora, uma compra de um rebanho em particular com Seu próprio sangue (At 20.28; I Co 6.19,20). Também foi uma obra sacrificial como sacerdotal. Como os sacerdotes no Velho Testamento ministravam diante de Deus para homens em particular, Cristo ministrou diante de Deus para todo os Seus (Hb 9.11-15, 25-28; 10.12-18). Não há dúvida nenhuma que a obra de Cristo como salvador “por nós” foi sacrificial.

Portanto, todos em Cristo são feitos justos diante de Deus. A todos os homens (sem a exceção de nenhum) deve ser declarado publicamente e zelosamente a mensagem do Evangelho que Cristo é o Salvador de todos os pecadores arrependidos e crentes Nele (Jo 3.16). Portanto, se você é convencido dos seus pecados e entende que merece a ira e o julgamento de Deus, a mensagem é: Venha a Deus pela fé na obra completa de Cristo. Por Cristo, Deus é grande em perdoar (Is 55.7). Venham, tomem de graça da água da vida, todos que querem (Ap 22.18), todos que tenham sede (Is 55.1-3), e, todos que sejam oprimidos e cansados dos seus pecados (Mt 11.28-30).

Versículo para Memorizar: João 3.16. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.

68.2. Resposta. Para escaparmos da ira e maldição de Deus, merecidas por nós, por causa do pecado, temos que crer no Senhor Jesus Cristo (1), confiando só em Seu sangue e justiça. Esta fé é acompanhada pelo arrependimento da vida passada pecaminosa (2) e leva à santidade na vida cristã futura (3).

Atos 20.21. “Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo”.

A fé verdadeira é dom de Deus (Ef 2.8,9), pelo Espírito Santo (Gl 5.22) e é única (Ef 4.5). A fé verdadeira olha a Cristo (Isaías 45.22; João 3.14,15), vai a Cristo (Is 55.1; Mt 11. 28; Jo 6.37, 44, 45, 65), põe o seu refúgio nEle (Hb 6.18), come e bebe dEle (Jo 6.51-58) e recebe Ele (Cl 2.6). A sua fé é ativa somente para com Cristo como tudo que basta para a salvação?

Mais sobre esse assunto na próxima pergunta 69.

Arrependimento

O arrependimento é primeiramente necessário para aqueles que ainda não têm fé. Isso é evidente, pois Jesus não veio para “chamar os justos, mas sim, os pecadores, ao arrependimento.” (Lucas 5:32). O arrependimento se dá “para a vida” (Atos 11:18), “para a salvação” (II Coríntios 7:10), e “para conhecerem a verdade” (II Timóteo 2:25), “de obras mortas” (Hebreus 6:1). Para as pessoas que têm fé em Cristo, não lhes falta a vida. Essas não estão presas às obras mortas e não lhes falta o conhecimento da verdade. Portanto, o arrependimento é necessariamente anterior à fé e, sem o arrependimento, é impossível obter a salvação (Lucas 13:1-5).

Mais sobre esse assunto na pergunta 70.

Versículo para Memorizar: João 3.16. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.

68.3 Resposta. Para escaparmos da ira e maldição de Deus, merecidas por nós, por causa do pecado, temos que crer no Senhor Jesus Cristo (1), confiando só em Seu sangue e justiça. Esta fé é acompanhada pelo arrependimento da vida passada pecaminosa (2) e leva à santidade na vida cristã futura (3).

SANTIFICAÇÃO DE ACORDO COM A BÍBLIA David W. Cloud

O presente estudo é um artigo da Way of Life Encyclopedia of the Bible & Christianity, copyright 1994.

SANTIFICAÇÃO. As palavras “santificar”, “sagrado” e “santo” são traduções da mesma palavra grega. Elas significam estar separado para um serviço especial. Na Bíblia muitas coisas além de pessoas são apresentadas como santificadas –- os móveis do Tabernáculo (Ex 40.10, 11,13); uma montanha (Ex 19.23); comida (I Ti. 4.5). Torna-se até possível para um crente santificar a Deus no seu coração (1 Pe 3.15). Portanto, santificar, ou tornar sagrado, não significa purificar ou tornar sem pecado, mas separar alguma coisa para Deus e o serviço a Deus.

Em relação ao Cristão, santificação ou santidade significa estar separado para Deus do pecado. Existem três aspectos distintamente diferentes desta santificação: passado, presente e futuro. Todo Cristão está autorizado a falar, “fui santificado; estou sendo santificado; ainda serei santificado.”

SANTIFICAÇÃO PASSADA significa que o crente já foi posicionalmente separado em Cristo (At 20.32; 1 Co 1.2; 1.30; 6.9-11; Hb 10.10, 14). No novo nascimento, cada crente tem sido eternamente santificado em Cristo, levado do poder do diabo para dentro da família de Deus (Jo 1.12; Gl 4.4-6), do reino do diabo para dentro do reino de Cristo (Cl 1.12, 13); da velha criação para a nova criação (II Co 5.17). Esta santificação é uma realidade eterna e está baseada numa nova posição spiritual que o Cristão tem em Jesus Cristo. Os crentes de Corinto não estavam sem pecado, e apesar disso foram chamados de santos e fala-se que foram santificados (I Co 1.2, 30). Neste sentido, o Cristão pode dizer, “ESTOU santificado em Cristo.”

SANTIFICAÇÃO PRESENTE (ATUAL) indica o processo pelo qual o Espírito Santo gradualmente muda a vida do crente para dar vitória sobre o pecado. Esta é a santificação prática. Trata-se do crescimento cristão, deixando o pecado do lado e vestindo religiosidade (Ro 6.19, 22; 1 Ts 4.3, 4; 1 Pe 1.14-16). [Nota do tradutor: A palavra inglesa “godliness” aparentemente não tem tradução própria em português. Ela significa algo parecido como “deusidade”. O dicionário somente indica “religiosidade”. Nota do Pastor Calvin: a palavra melhor seria “piedade”] Este processo atual de santificação nunca acaba nesta vida (1 Jo 1.8-10). O Cristão precisa resistir ao pecado até ser levado deste mundo na morte ou na volta de Cristo. Neste sentido, o Cristão pode dizer, “ESTOU SENDO santificado pelo poder de Deus.”

SANTIFICAÇÃO FUTURA é a perfeição que o crente vai desfrutar na ressurreição (1 Ts 5.23). Na vinda de Cristo, cada crente receberá um corpo novo que estará sem pecado. O Cristão não terá mais de resistir ao pecado ou de crescer para a perfeição. Sua santificação estará completa. Ele estará inteira e eternamente separado para Deus do pecado. Neste sentido, o Cristão ESTARÁ santificado na volta de Cristo.

Precisamos tomar cuidado para não confundir estes aspectos diferentes da santificação ou santidade.

Fundamental Baptist Information Service, P.O. Box 610368, Port Huron, MI 48061, 866-295-4143, fbns@wayoflife.org Visite o site Way of Life Literature http://www.wayoflife.org Copiado de http://www.wayoflife.org/fbns/sanctification.htm [Traduzido por Philippe van Mechelen – março 2007]

Versículo para Memorizar: João 3.16. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o

seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!