Skip to content

Pergunta 40 – O que Deus revelou ao homem como regra de obediência?

40. Pergunta. O que Deus revelou ao homem como regra de obediência?

Resposta. A primeira regra que Deus revelou ao homem foi a lei moral (1), que deve ser obedecida e que está resumidamente compreendida nos dez mandamentos (2).

40.1. Resposta. A primeira regra que Deus revelou ao homem foi a lei moral (1), que deve ser obedecida e que está resumidamente compreendida nos dez mandamentos (2).

Dt 10.4, “Então escreveu nas tábuas, conforme à primeira escritura, os dez mandamentos, que o SENHOR vos falara no dia da assembléia, no monte, do meio do fogo; e o SENHOR mas deu a mim”.

Versículo para memorizar: Ec 12.13, “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem”.

A Palavra “Lei” e os Seus Múltiplos Significados – Ron Crisp

A palavra “lei”, com freqüência é usada para descrever as diferentes partes da revelação de Deus a respeito de si mesmo. Quando encontrarmos esta palavra, é necessário discernirmos seu sentido específico e o contexto no qual ela está sendo usada.

A palavra “lei” é muitas vezes utilizada para se referir ao Pentateuco ou os primeiros cinco livros de Moisés (Lucas 24.27). Moisés numa maneira única e singular recebeu e relatou a lei de Deus (João 1.17).

A “lei” às vezes parece ser uma referência a Bíblia toda (Salmo 1.1-2; Salmo 19.7-10).

A palavra “lei” é muitas vezes utilizada para designar todo o sistema cerimonial de adoração entregue à Israel. Isto incluiria o tabernáculo, sacerdócio, ofertas, dias santos e as leis de dieta alimentar do Velho Testamento (Hebreus 10.1; Hebreus 9.22). O sistema cerimonial aponta a Jesus Cristo sempre.

As leis civis que Israel deveria obedecer são chamadas de “lei”. Êxodo 22-24 nos dão um exemplo desta parte da lei.

A frase “lei moral” é muito usada para se referir aos padrões básicos de certo e errado que permanecem até hoje. A lei cerimonial poderia ser aniquilada (Hb. 10.9), mas o dever de amar a Deus permanece sempre. Os Dez Mandamentos são freqüentemente citados como sendo a lei moral (“a lei espiritual”, Rm. 7.14), embora alguns estudantes da Bíblia discordem que o sábado esteja incluído nesta classificação.

Um certo grau de conhecimento do certo e do errado foi implantado por Deus na consciência humana (Romanos 2.14-15). Num sentido mais profundo, a lei é escrita no coração daqueles que nascem de novo (Hebreus 8.10; Romanos 7.22). Eles não somente tem um maior entendimento das exigências da lei como também amam e desejam obedecer seus preceitos.

As Implicações da Lei

A própria existência da lei abrange muito. Os homens raramente consideram o quanto é comprovado justamente pela crença do certo e errado.

A crença na lei requer a crença em um legislador. Para ser consistente o ateísta deveria privar-se de qualquer conceito de moral absoluta. Se não há Deus não há nada de certo ou errado. Assassinato e caridade são meras atividades diferentes.

As leis morais das Escrituras revelam o caráter santo de Deus. A lei sempre reflete a natureza do legislador. Note a impureza das leis feitas por homens ímpios ou atribuídas a falsos deuses.

As leis encontradas na Palavra de Deus são perfeitamente santas. O fato do amor cumprir a lei revela a perfeição da natureza de Deus (Romanos 13.8; I João 4.8). Considere que a Regra de Ouro é simplesmente uma declaração condensada do nosso dever para com o próximo. Poderíamos conceber que nosso Senhor permitiria o aborto, as jogatinas ou a impureza sexual como o fazem os nossos modernos legisladores?

Se a lei de Deus é reconhecida, então Ele deve ser visto como nosso soberano Criador. Quem, exceto o Todo-Poderoso, poderia ter autoridade para declarar o que é certo ou errado? Os governos humanos somente têm autoridade outorgada por Deus (Romanos 13.1). O governo Civil não tem autoridade para ordenar a desobediência à Deus (Atos 5.29).

Uma vez admitida a existência do certo e errado a certeza do julgamento fica estabelecida. As leis não são meras sugestões. Toda lei carrega consigo a ameaça da penalidade para aqueles que a violam. O pecado é a transgressão da lei de Deus (I João 3.4) e traz consigo uma horrenda condenação (Romanos 6.23).

A existência da lei de Deus prova a Sua natureza infinita. A lei de Deus revelada nas Escrituras e em nossas próprias consciências revela as más ações, palavras e pensamentos. Somente um Deus Onisciente poderia fazer leis que responsabilizam as palavras e segredos de pensamento dos homens e dos anjos. Somente um Deus Todo-Poderoso poderia trazer cada ofensor à julgamento. Pelo fato dEle ser Onipresente ninguém pode escapar do Seu julgamento (Salmo 139; Atos 17.31).

Os Atributos da Lei de Deus

Muitos códigos de lei têm sido promulgados pelo homem para governar a sociedade. Entretanto, há coisas que podem ser ditas a respeito da lei de Deus que não podem ser ditas a respeito das leis dos homens.

Pureza Perfeita – As imperfeições e limitações dos homens são refletidas nas suas próprias leis. O único sistema de leis perfeitamente santo é o de Deus (Salmo 19.8).

Espiritual – As leis dos homens controlam a conduta e, de uma forma, as palavras da sociedade. Só a lei de Deus é que julga o coração. Que governo humano poderia fazer do Sermão do Monte parte do seu sistema legal (Note Mateus 5.28; 43-44)? Entretanto, este sermão expõe a verdadeira espiritualidade da lei de Deus.

Abrangência – Os governos humanos estão sempre fazendo novas leis para cobrir situações não previstas. A lei de Deus não precisa de adendos. Ela cobre cada dever do homem em seus princípios e preceitos (Salmo 119.96).

Unidade – Alguém pode quebrar a lei dos homens e ainda ser obediente em outras áreas. Este não é o caso da lei de Deus (Tiago 2.10). Isto ocorre porque o amor é o fundamento de tudo (Romanos 13.8-10). Pecar em qualquer área é falhar em amar, que é o fundamento da lei de Deus como um todo.

Por qual razão deve o Cristão ter medo da Lei de Deus? Por qual razão não abraçamos a Lei de Deus com zelo maior? Como você se enquadra na Lei de Deus? Se ela lhe condena, olhe pela fé ao Filho de Deus, Jesus Cristo, que cumpriu toda a Lei de Deus para com os que se arrependam e confiam nEle de todo o coração. Se já foi regenerado, lembre-se de seguir a espiritualidade da lei.

40.2 A primeira regra que Deus revelou ao homem foi a lei moral (1), que deve ser obedecida e que está resumidamente compreendida nos dez mandamentos (2).

Versículo para memorizar: Ec 12.13, “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem”.

As leis absolutas de Deus precisam ser obedecidas por todos, especialmente pelos que têm um coração novo. Elas devem ser ensinadas aos nossos filhos (Dt 6.4-9; Ef 6.1-4) e observadas nos cultos onde adoração verdadeira é desejada (Jo 4.24).

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon