Skip to content

Pergunta 37 – Que benefícios os crentes recebem de Cristo na ressurreição?

37 Pergunta. Que benefícios os crentes recebem de Cristo na ressurreição?

Resposta. Na ressurreição, os crentes sendo ressuscitados em glória (1), serão reconhecidos e declarados justificados no dia do juízo (2), e feitos perfeitamente abençoados tanto no espírito quanto no corpo desfrutando completamente a comunhão com Deus (3) por toda a eternidade (4).

Para Memorizar:

I Jo 3.2, “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”.

37.1 Resposta. Na ressurreição, os crentes sendo ressuscitados em glória (1), serão reconhecidos e declarados justificados no dia do juízo (2), e feitos perfeitamente abençoados tanto no espírito quanto no corpo desfrutando completamente a comunhão com Deus (3) por toda a eternidade (4).

I Coríntios 15: 43. “Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória”. Leia também: I Co. 15.12-22, 35-49, 53-54.

Seremos ressurretos com um “corpo espiritual”, I Co 15.44. Isso quer dizer que teremos um corpo verdadeiro com forma, como temos hoje, só que será espiritual também. Um “corpo espiritual” que não precisará nutrição alimentar para subsistir, não será sujeito às leis ou limitações da ordem física anterior e não terá nenhuma corrupção.

Para Memorizar:

I Jo 3.2, “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”.

37.2 Resposta. Na ressurreição, os crentes sendo ressuscitados em glória (1), serão reconhecidos e declarados justificados no dia do juízo (2), e feitos perfeitamente abençoados tanto no espírito quanto no corpo desfrutando completamente a comunhão com Deus (3) por toda a eternidade (4).

Mateus 10:32. “Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus”.

Antes da ressurreição dos nossos corpos, a nossa posição diante de Deus, por estarmos em Cristo, já é uma posição de pessoas justificadas. Considerem estes versículos: Rm 8.1, “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito”. Rm 5.1, “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”. Fp 3.9, “E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé”.

Porém, na ressurreição, Cristo declarará diante de Deus, dos anjos santos e de todos os presentes naquela ressurreição, que esses fieis a Ele foram justificados por Ele (Ap 3.5). Apesar da verdade que somos guardados de tropeçar e apresentados irrepreensíveis diante de Deus (Judas 24), é verdade também que “Como tratamos Cristo nessa vida determinará como Ele nos tratará na eternidade”, (Family New Testament Notes). Ser envergonhados de Cristo é negá-Lo. Uma vida que persiste de negar Cristo na terra é uma vida negada por Cristo na ressurreição. A confissão agradável a Deus é uma que origina do coração (Rm 10.10), e, verdadeiramente espalha a todas as áreas da nossa vida (social, religiosa, empregatícia, recreativa e doméstica; a fala, a dieta, o vestir, o folgar, etc.). Tal confissão é possível pela amável graça de Deus com o qual, morrendo a nós mesmos, vivemos Cristo diante do mundo. Tal confissão será recíproca por Cristo diante do Seu Pai.

Como vai a sua vida diária com Cristo? A sua maneira de viver confessa Cristo? Se for fiel, e se perseverar obedecendo a Palavra de Deus até o fim, Cristo, no Seu trono, promete confessar que cada um dos fieis é Seu irmão.

Se porém a sua vida é uma dominada pelo pecado (Pr 24.16), experimentada somente com a tristeza segundo o mundo (II Co 7.10), a sua necessidade é um coração novo que confesse o pecado, odeia o pecado, e clama pela misericórdia de Deus enquanto confia no sacrifício de Cristo (At 17.30, 31).

Há um dia de juízo para o Cristão quando serão julgadas as suas obras de obediência à Palavra de Deus (Rm 14.12, “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”; II Co 5.10, “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”; Ec 12.14).

Para Memorizar:

I Jo 3.2, “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”.

37.3 Resposta. Na ressurreição, os crentes sendo ressuscitados em glória (1), serão reconhecidos e declarados justificados no dia do juízo (2), e feitos perfeitamente abençoados tanto no espírito quanto no corpo desfrutando completamente a comunhão com Deus (3) por toda a eternidade (4).

I João 3:2. “Quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele: porque assim como é o veremos”.

Não é explicado na Bíblia até que aspecto seremos semelhantes a Cristo, que é o alvo de todo Cristão verdadeiro. Todavia é suficiente saber que não teremos mais as limitações de um corpo completamente terrestre (“corpo espiritual”, I Co 15.42-44), nem cobiçará contra nosso espírito a carne (Gl 5.17). Não terá nada que impeça a comunhão nossa com Deus (Ap 22.1-5).

Para Memorizar:

I Jo 3.2, “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”.

37.4 Resposta. Na ressurreição, os crentes sendo ressuscitados em glória (1), serão reconhecidos e declarados justificados no dia do juízo (2), e feitos perfeitamente abençoados tanto no espírito quanto no corpo desfrutando completamente a comunhão com Deus (3) por toda a eternidade (4).

I Tessalonicenses 4.17. “E assim estaremos sempre com o Senhor”.

Mt 25.21, “E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor”.

A conclusão da aliança da graça, da expiação de Cristo pelos Seus, da Sua ressurreição e ascensão ao Pai é isso: os que o Pai deu a Cristo sejam imputados com a Sua justiça e ressurrectos no último dia para estarem aonde que Jesus estiver (Jo 6.37-40; 12.26; 14.3; 17.24).

Você tem tal esperança gloriosa de estar com Cristo pela eternidade?

Para Memorizar:

I Jo 3.2, “Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”.

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!