Skip to content

Pergunta 29 – Como o Espírito Santo aplica a redenção comprada por Cristo a nós?

29. Pergunta. Como o Espírito Santo aplica a redenção comprada por Cristo a nós?

Resposta. O Espírito Santo aplica a redenção comprada por Cristo a nós, por operar fé em nós (1) e unindo-nos assim a Cristo em sua chamada eficaz (2).

29.1. O Espírito Santo aplica a redenção comprada por Cristo a nós, por operar fé em nós

Efésios 2:8. “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.”; Jo 1.12.

O FRUTO DA REGENERAÇÃO

Devido a regeneração ser conhecida apenas pelos seus frutos, vale a pena saber os efeitos que a regeneração produzirá no homem. Como podemos saber se somos nascidos de novo ou meramente enganados? Vamos listar algumas das virtudes que a regeneração produz na alma.

A. Fé – I João 5:4,5; Hebreus 12:2; I Pedro 1:3; Atos 18:27; Tg. 1.17. (O leitor não deve entender que estamos dizendo que a regeneração vem antes da fé cronologicamente. A regeneração precede a fé somente como sua causa. A fé é produzida instantaneamente pelo poder regenerador de Deus e assim simultânea à regeneração cronologicamente. Isto pode ser exemplificado da seguinte maneira: Uma bala atirada numa parede instantaneamente produz um buraco. Em relação ao tempo, a ação da bala atingir a parede não pode ser separada do efeito produzido, mas a bala é a causa do buraco. A graça regeneradora produz instantaneamente a fé, mas a precede como causa) – Ron Crisp.

B. Arrependimento – II Timóteo 2:25.

C. Amor a Deus – I João 4:19

D. Amor aos outros crentes – I João 4:7; 3:14.

E. Perseverança – Filipenses 1:6; I João 5:4,5.

29.2. e unindo-nos assim a Cristo em sua chamada eficaz

Efésios 3:17. “Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações.”; At. 2.38-39

A Chamada Interna e Eficaz

Os meios internos são aqueles meios invisíveis empregados por Deus no interior do homem antes mesmo que o homem perceba qualquer ação nele em prol da sua salvação.

A Graça de Deus – II Timóteo 1:9, “Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos”

Por necessidade é importante listar a graça em primeiro lugar destes meios que Deus usa na chamada da salvação pois a graça é de Deus como a primeira causa de qualquer obra boa (Tiago 1:17, “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação”).

A graça é aquele maravilhoso atributo de Deus que é manifesto quando Deus derrama bênçãos em quem não as merece. Pela Palavra de Deus, pode ser observado que existem dois tipos de graça: a comum que é dada a todos os homens mas não salva ninguém e a especial que opera eficazmente nos eleitos trazendo-os seguramente à salvação por Jesus Cristo.

A Graça Comum ou Geral

A graça comum é manifesta ao homem em geral (Salmos 136:25; 145:9; Atos 17:24-26) incluindo as bênçãos de Deus ao estrangeiro, dando-lhes pão e vestimenta (Deuteronômio 10:17-19), aos animais e as plantas são objetos desta graça comum pois Ele supre todas as suas necessidades (Salmos 104:11-22; Lucas 12:6; Mateus 6:28-30). A graça comum estende tanto aos justos e injustos como aos bons e maus juntamente dando-lhes sol, chuva e tudo para viver bem (Deuteronômio 29:5; Mateus 5:43-45; Lucas 6:35; 16:25). Essa graça comum, Deus derramando bênçãos em quem não as merece, é dada aos homens em geral dando-lhes um governo civil que é um instrumento de Deus (Romanos 13:3,4; I Pedro 2:14). A graça comum faz parte das coisas minuciosas (“até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados”, Lucas 12:7) até as coisas impossíveis de medir tais como a preservação do mundo e tudo que nele há (Neemias 9:6; Colossenses 1:16,17). Conjuntamente com estas bênçãos Deus também dá a mensagem de salvação a muitos, e aos muitos Ele proclama Cristo repetidamente, que nunca serão salvos (Mateus 13:19-22; Atos 14:15-17; Romanos 2:4; I Timóteo 4:10). Essa graça comum pode ser resistida (Mateus 23:37) e é resistida por todos que vão ao inferno. Que essa graça geral não é salvadora é entendida pela observação que os maus continuam mal depois da manifestação de tal graça mesmo que tal graça e as bênçãos que ela traz sejam maravilhosas (Romanos 2:4).

A Graça Especial ou Particular

A graça especial de Deus é exercitada para com aqueles que Deus ama particularmente (Deuteronômio 7:7,8; 9:6; Jeremias 31:3; Efésios 1:5; 2:4, “Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,”). A graça especial de Deus age em casos além da salvação também. Essa graça particular é revelada em vários casos pela Palavra de Deus. Não existe outra explicação, a não ser a graça especial, que enviou Elias à viúva de Sarepta de Sidom e Eliseu ao leproso Naamã o siro (Lucas 4:25-27; I Reis 17:8-13; II Reis 5:1-17). Mas, essa graça especial é melhor e mais gloriosamente notada nos que Ele chama particularmente à salvação (Salmos 65:4; Romanos 8:28,29; I Coríntios 1:24; Gálatas 1:15,16). Pela graça particular Deus escolheu salvar os homens e não os anjos (II Pedro 2:4); a abençoar Israel em ser o Seu povo e não qualquer outra nação existente naquela época (Gênesis 12:1-3); a levar o evangelho a Macedônia e não a Ásia (Atos 16:6-10); aos pobres e não aos ricos (Tiago 2:5); aos simples e não aos cultos (Mateus 11:25,26) e aos demasiadamente ímpios e não aos justos (Mateus 21:32). A graça especial de Deus não pode ser resistida efetivamente pois é sempre eficaz em trazer todos os Seus à salvação plena (João 6:44, “… e eu o ressuscitarei no último dia”; 10:27, “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e Eu conheço-as e elas me seguem;”; I João 4:19; Atos 13:48, “E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna”; Efésios 2:4-5, 8-9; II Tessalonicenses 2:13). Por Deus pensar de maneira favorável para com os Seus antes de operar qualquer outra obra dEle, listamos a Sua graça primeiro entre as obras internas de Deus para trazer os Seus a Si mesmo. Entendemos que somente os “Seus” podem vir a Cristo (João 1:12,13; 6:44, “Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer”; 6:65, “…ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido.”) e certamente Estes vem por serem capacitados pela Sua graça especial, e, por isso, essa chamada é eficaz (II Coríntios 3:5, “a nossa capacidade vem de Deus”; Gálatas 1:15; Efésios. 2:8,9). “O teu povo será mui voluntário no dia do teu poder;” (Salmos 110:3)

A Graça Preveniente e a Providência

I Coríntios 4:7, “Porque, quem te faz diferente?”

Gálatas 1:15, 16, “desde o ventre de minha mãe me separou”

A graça de Deus, além de ser categorizada em comum ou especial, pode também ser listada como preveniente ou a graça da providência. A graça especial é pela qual Deus escolhe os Seus. A graça preveniente e a própria providência, em respeito ao assunto da salvação, são aspectos da graça especial e particular pelas quais Deus traz eficazmente os Seus a Ele.

A graça preveniente é aquela graça “que nos induz à prática do bem (falando-se da graça divina) ou aquela que chega antes” (Dicionário Eletrônico Aurélio). A graça preveniente é aquela forma da graça de Deus que é exercitada para com os eleitos, indo antes deles, guardando-os de certos males e pecados tanto antes como também depois que são salvos.

A providência é “A suprema sabedoria com que Deus conduz todas as coisas” (Dicionário Eletrônico Aurélio). No assunto particular da salvação, a providência é o exercício da graça soberana que tem o aspecto específico de operar em particular com tudo ao redor dos eleitos. Ela controla cada um dos aspectos das suas vidas antes e depois da sua salvação, para que tudo opere segundo o eterno propósito de Deus (Ef. 1.10). Ela influencia-os ao ponto que seja feito tudo o que é necessário para que estes atendam voluntariamente à chamada de Deus com fé em Cristo e que sejam obedientes à vontade de Deus continuamente até o último dia (Efésios 1:11, “Nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito dAquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da Sua vontade”; Filipenses 1:6, “Tendo por certo isto mesmo, que Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo”; 2:13, “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade”).

Pela graça da providência, Abraão e Sara foram levados ao Egito, mas, pela graça preveniente as suas ações foram guardadas para que as suas vidas não fossem destruídas (Gênesis 20:4-6). José foi levado à casa de Faraó pela graça da providência usando a falta de entendimento dos pais dos seus sonhos (Gênesis 37:10), o inveja e a ira dos seus irmãos (Gênesis 37:11, 18-25), a mentira da mulher de Potifar (Gênesis 39:13-20), o favor diante dos olhos do carcereiro-mor (Gênesis 39:21) e o esquecimento do copeiro-mor do rei (Gênesis 40:21-23). Todavia, foi a graça preveniente que guardou José de pecado com a mulher de Potifar (Gênesis 39:2-12), do desespero nos longos anos na prisão (Gênesis 39:23) e é o que levou José a conhecer o significado dos sonhos do rei (Gênesis 41:16). Posteriormente, José deu testemunho que isso tudo foi orquestrado pela mão de Deus, ou seja, a Sua providência (Gênesis 45:5). A operação de Deus pela providência, para os que tem olhos para enxergar espiritualmente, é muito maior que qualquer milagre, pois ela opera nos milhões de acontecimentos diários para trazer a Sua vontade eterna ser feita com exatidão.

Podemos perceber a mão de Deus trazendo os Seus à salvação pela graça da providência nos casos do eunuco em Gaza (Atos 8:25-40), da Lídia (Atos 16:13-15) e do próprio Apóstolo Paulo (Gálatas 1:15,16; Atos 9:1-19). Foi a graça preveniente que fez o eunuco desejar a ir a Jerusalém para a adoração, a Lídia querer estar onde a oração costumava ser feita e fez Paulo considerar a pregação de Estêvão. A ação de Deus que opera na vida de todos ao redor dos eleitos é chamada por alguns a ‘providência’ (Salmos 136:5-12). A ação de Deus que restringe as ações do próprio homem escolhido é chamada por alguns a ‘graça preveniente’ (Salmos 76:10).

Que a graça da providência opera na salvação é entendida por Paulo declarar que desde o ventre da sua mãe ele foi separado e chamado pela graça (Gálatas 1:15,16). Essa separação foi segundo o propósito eterno de Deus mas, em tempo, feita pela providência. A revelação do Filho de Deus ao Paulo aconteceu em tempo (Atos 9:1-6) assim como aconteceu a sua chamada pública ao apostolado (Atos 13:1-3). Depois de muitas experiências Paulo testemunha dizendo que tudo isso foi a graça que operou nele (I Coríntios 15:10).

Observação

A providência não opera em oposição à liberdade inata do homem em fazer uma escolha qualquer nem cancela a sua responsabilidade pessoal quando é exercitada a sua vontade (Gênesis 2:17; Ezequiel 18:20, “a alma que pecar, essa morrerá”; Gálatas 6:7,8). O simples fato que Deus julga o homem pelas suas ações prova que o homem é responsável por elas. “A providência é entendida na sua operação quando são induzidas ações especificas ou o homem é colocado em situações que influenciam ou controlam-no nas suas ações” (Boyce, p. 224). Exemplos disso são: o uso de vespões – Êxodo 23:28; de profetas mentirosos – I Reis 22:20-22; a cólera do homem – Salmos 76:10; as mãos de injustos – Atos 2:23; os reis da terra – 4:27,28; Efésios 1:11, “opera todas as coisas segunda a Sua vontade”; Filipenses 2:13.

Se você estiver sem Cristo e deseja mesmo ser salvo Nele, peça que Deus te salve pela Sua mão poderosa tendo misericórdia de sua alma, levando-te a crer em Cristo Jesus, o único Salvador revelado pelas Escrituras. Verá que tal ação é a sua responsabilidade. Verá também que a salvação é pela Sua graça. Venha já e prove a grandiosa graça de Deus (Isaías 55:6-7)!

Se você já conhece pessoalmente a graça particular que lhe chamou irrestívelmente, saiba que tem toda razão de se entregar como sacrifício vivo a tudo que Deus desejar e lhe manifesta pela Palavra de Deus (Romanos 12:1,2). Sirva-O com tudo que Ele tem lhe dado! Pode ser que o amado filho de Deus esteja passando por profundas dificuldades e numerosas tentações. Que esteja confortado pelo fato que Aquele que não poupou Seu Unigênito Filho por todos nós, como não dará também com Ele todas as coisas? (Romanos 8:31-39). Ore e espere no Senhor que te ama com um amor eterno (Jeremias 31:3).

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon