Skip to content

Pergunta 28 – Como somos feitos participantes da redenção comprada por Cristo?

28. Pergunta. Como somos feitos participantes da redenção comprada por Cristo?

Resposta. Somos feitos participantes da redenção comprada por Cristo, através da aplicação eficaz disto a nós (1) pelo Espírito Santo (2).

28.1 através da aplicação eficaz disto a nós

João 1:12. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no seu nome.”

A eleição não é salvação, mas, para a salvação (II Tessalonicenses 2.13 “Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade;”).

A redenção comprada por Cristo tem que ser aplicado aos que são feitos participantes dela. Essa aplicação não é feita por nascer num lar cristão, ser batizado com água ou “no Espírito”, por fazer uma boa caridade, etc.

“Mas, a todos quantos o receberam,”

O verbo ‘receber’ é um verbo passivo enquanto o verbo ‘aceitar’ é ativo. A aplicação da redenção comprada por Cristo vem aos que serão feitos participantes dela sem os esforços dos mesmos.

Este recebimento é, em outro lugar, chamado por outro nome tal como ‘nascer de novo’ (João 3.3,5,7). Como num nascimento normal a criança recebe os esforços do outro para poder nascer, os participantes da redenção comprada por Cristo são feitos participantes pela obra de Outro. São dados o poder “de serem feitos filhos de Deus”. Os que recebem a redenção comprada por Cristo, ou seja os “que crêem no seu nome”, são os que foram dados “o poder de serem feitos filhos de Deus”.

O Pai os predestinou e essa predestinação assegura para estes as bênçãos da salvação (Romanos 8.29,30).

O Espírito Santo opera em nos descobrir, pela iluminação da Palavra de Deus, o grande mistério da piedade, o Jesus Cristo, e depois testifica com o nosso espírito que somos Filhos de Deus (Romanos 8.14-16)

Cristo, a Palavra, veio assumir carne para ser tudo que os eleitos necessitam para serem feitos Filhos de Deus (II Coríntios 5.17-21).

28.2. pelo Espírito Santo

Tito 3:5-6. “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente Ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador.”

II Tessalonicenses 2.13, 14 “Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito, e fé da verdade; Para o que pelo nosso evangelho vos chamou, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Tito 3.5-7, “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.”

I Coríntios 2.1-4, “E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder;”

Parábola do Semeador: Mateus 13:23, “Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta”.

Nas anotações do Pastor Ron Crisp do seu livro Um Esboço do Estudo da Pessoa e a Obra do Espírito Santo, páginas 55-57, achamos o seguinte:

O AGENTE NA REGENERAÇÃO

A regeneração não é produzida pelo batismo, pela vontade humana (João 1:13), ou qualquer outra obra, mas é uma obra especifica de Deus na alma. Como o vento (poderoso, fora do controle do homem e invisível) esta obra não é produzida, controlada ou entendida pelo homem (João 3:8). Esta obra freqüentemente atribuída ao Espírito Santo é uma ação instantânea e completa de Deus sobre a alma. Mesmo que Deus venha a usar meios para salvar os eleitos, deve ser entendido que a própria regeneração não é um esforço conjunto (Divino + humano). A Bíblia apresenta o novo nascimento como uma necessidade absoluta e não como mandamento a ser obedecido pelo homem (João 3:3).

Agora estamos diante de uma importante pergunta sobre o lugar do evangelho na regeneração. A Palavra de Deus é freqüentemente mencionada em conexão com o novo nascimento (I Coríntios 4:15; Tiago 1:18; I Pedro 1:23; Salmos 119:93). Qual é a parte exata que o evangelho, escrito ou pregado, tem nessa obra? Alguns exageram ao ensinar que muitos são regenerados sendo que nunca ouviram o evangelho. Vamos considerar este assunto.

Devemos entender primeiramente que mesmo a regeneração sendo uma obra direta de Deus sobre a alma do homem, pela sua natureza ela é feita em conjunto com o evangelho (Divino + Divino). A regeneração produz fé, e a fé torna-se impossível sem o evangelho (Romanos 10:17). Como pode alguém crer num Salvador do qual nunca ouviu falar (Romanos 10:14)? A regeneração nos dá um coração de conhecimento e amor a Deus (Jeremias 24:7). Isso também envolve o conhecimento das Escrituras, de quem é Deus. Se a regeneração não acontece em conjunto com a Palavra de Deus não há fé, amor, santidade, e nem o conhecimento espiritual pode ser produzido por ela.

Em I Tessalonicenses 1:4-5, encontramos Paulo dizendo aos crentes de Tessalônica que ele sabe da sua eleição pelo fato de o evangelho vir a ele em poder. Por meio da regeneração Deus dá força ao evangelho abrindo os corações para recebê-lo (Atos 16:14). Muitos daqueles que gastaram as suas vidas na igreja têm testemunhado que quando Deus os salvou eles se sentiram como se estivessem ouvindo o evangelho pela primeira vez.

Aqueles que ensinam que a regeneração pode acontecer aparte do evangelho parecem temer os que não concordam com eles pois repartem o crédito da obra de Deus com o pregador. Eles falam do nosso ponto de vista como “regeneração evangélica” e crêem que temos abaixado a regeneração a uma mera obra de persuasão moral. Estes temores, portanto, não têm apoio nenhum. Vejamos a regeneração como uma obra soberana e direta de Deus sobre a alma, mas não distorçamos as Escrituras com o ensinamento que as pessoas podem experimentá-la fora do evangelho. Isso seria o mesmo que Deus dar ao homem o poder de visão mesmo falhando na criação a luz com a qual o próprio homem deve ter para ver. Isto é um insulto à sabedoria de Deus. (Crisp, pg. 55-57).

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!