Skip to content

Pergunta 18 – Qual é a miséria desse estado em que o homem caiu?

18. Pergunta. Qual é a miséria desse estado em que o homem caiu?

Resposta. Toda a raça humana, pela queda, perdeu a comunhão com Deus (1), está sob Sua ira e maldição (2), e assim sujeita a todas as misérias nesta vida, à própria morte e ao tormento do inferno para sempre (3).

Versículo para Memorizar. Jo 3.36, “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”.

18.1. Toda a raça humana, pela queda, perdeu a comunhão com Deus (1), está sob Sua ira e maldição (2), e assim sujeita a todas as misérias nesta vida, à própria morte e ao tormento do inferno para sempre (3).

Gênesis 3.8 e 24, “E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim. E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.”

18.2. Toda a raça humana, pela queda, perdeu a comunhão com Deus (1), está sob Sua ira e maldição (2), e assim sujeita a todas as misérias nesta vida, à própria morte e ao tormento do inferno para sempre (3).

Efésios 2.3, “Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.”

Gálatas 3.10, “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito. Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.”

18.3. Toda a raça humana, pela queda, perdeu a comunhão com Deus (1), está sob Sua ira e maldição (2), e assim sujeita a todas as misérias nesta vida, à própria morte e ao tormento do inferno para sempre (3).

Romanos 6.23, “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Mateus 25.41, “Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda. Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.”

Versículo para Memorizar. Jo 3.36, “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”.

O Fim do Pecado

O que é pecado e o que causou um preço a ser pago por ele pode ser entendido melhor pelo estudo do fim terrível do pecado.

Aquilo que é contra a justiça e a santidade divina; aquilo que opera ativamente contra o onipotente Deus, pode apenas provocar o antagonismo do justo e poderoso Deus (Ezequiel 18.24). É esse fim que o pecado gera. a ira do eterno e santo Deus.

Aquele que é o amigo do mundo tornou-se automaticamente o inimigo de Deus (Tiago 4.4). É esse o fim do pecado. a “inimizade contra Deus” (Romanos 8.6).

Aquele que resiste a justa autoridade de Deus será, sem misericórdia, reduzido a pó (Mateus 21.44; Lucas 20.18). Esse “pó” é nada mais do que uma afrontosa morte dos maus (Mateus 21.41).

Quando o pecado é consumado, a morte é gerada (Tiago 1.15). Não deve pegar ninguém de surpresa pois o resultado, ou fim, do pecado é conhecido desde o começo (Gênesis 2.17, “no dia em que dela comeres, certamente morrerás.”).

Depois disso, a lei avisou do perigo do pecado (Levítico 5.17, “E, se alguma pessoa pecar, e fizer, contra algum dos mandamentos do SENHOR … será ela culpada, e levará a sua iniquidade;”; Tiago 2.10, “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.”).

Os profetas repetiram o aviso (Isaías 3.10,11, “Ai do ímpio! Mal lhe irá; porque se lhe fará o que as suas mãos fizeram.” ).

O Novo Testamento não deixou o povo menos avisado (Romanos 6.23, “Porque o salário do pecado é a morte”; I Coríntios 15.56, “o aguilhão da morte é o pecado”).

Somente os que negam o que declara a Bíblia, a testemunha dada claramente pela natureza (Romanos 1.19,20) e da lei escrita no coração de todo homem (Romanos 2.14,15) estão em dúvida ainda hoje sobre o que merece todo pecado.

“A alma que pecar, essa morrerá” (Ezequiel 18.20). O homem tem responsabilidade em agradar o seu criador, o Supremo Deus, o infinito (Eclesiastes 12.13). O pecado é contra este Deus. Deus é o eterno e infinito ser (Romanos 11.33-36).

Por ser contra tal Deus, a morte é mais do que uma cessação de existência. A morte, o fim do pecado, é uma eterna e infinita separação de Deus. O primeiro pecado, praticado por Satanás, resultou em separação imediata da benção de ser aceito na presença de Deus com alegria (Isaías 14.11-15; Ezequiel 28.17). Essa separação continua até hoje e será para toda a eternidade. Quando o homem pecou pela primeira vez, ele foi lançado fora do jardim onde gozava a presença contínua e abençoada de Deus (Gênesis 3.8, 23).

Versículo para Memorizar. Jo 3.36, “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”.

A salvação pela substituição do culpado pelo inocente foi pregada quando Deus vestiu Adão e Eva com túnicas de peles (Gn 3.21). Cristo é O Cordeiro de Deus, o Substituto inocente para os culpados (II Co 5.21; I Pe 3.18). Deus manda que todo homem se arrependa e creia pela fé nEste Substituto, Jesus Cristo (At 17.30). “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, Jo 3.16.

Quando a época da graça se finda, entendemos pelas Escrituras qual é o eterno fim do pecado. Para todo pecador que não tem os pecados lavados pelo sangue de Cristo, o seu fim é. ser lançado fora da presença misericordiosa de Deus no lago de fogo (Apocalipse 20.12-15). Estes nunca poderão entrar na cidade celestial (Lucas 16.26; Apocalipse 21.27). Essa separação é uma separação da misericórdia e da benignidade de Deus, que agora está no mundo (Romanos 2.4; Isaías 48.22, “Mas os ímpios não têm paz, diz o SENHOR.”).

Essa separação é de ter uma existência eterna conhecendo somente a ira eterna, a maldição e o juízo justo de Deus. A eterna e infinita ira de Deus é “sobre toda a impiedade e injustiça dos homens (Romanos 1.18; Efésios 5.6). A eterna e infinita maldição de Deus é para “todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las” (Gálatas 3.10). O juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que fazem a abominação do pecado (Romanos 2.1,2). Pelo fim terrível do pecado podemos entender o que é o pecado e o que necessitou um preço a ser pago por ele.

Versículo para Memorizar. Jo 3.36, “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”.

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!