Skip to content

Pergunta 17 – Em que consiste a pecaminosidade do estado em que o homem caiu?

17. Pergunta. Em que consiste a pecaminosidade do estado em que o homem caiu?

Resposta. A pecaminosidade do estado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão (1), a falta de justiça-própria (2), e a corrupção da natureza toda, que é chamado comumente de pecado original (3), juntamente com todas as transgressões que procedem dele (4).

Versículo para Memorizar: Mateus 15.19, “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.”

Os Frutos do Pecado – O que é pecado e o que é que causou um preço a ser pago por ele pode ser melhor entendido pela observação dos frutos podres dele. Jesus disse. pelos frutos conhecerá a árvore pois “não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons” (Mateus 7.16,18). Tiago pergunta. “Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa?” e também, “pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos?” Na face da evidente clareza da lógica, Tiago resuma: “Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce?”. (Tiago 3.11,12). Diante de tais verdades podemos examinar os frutos podres e as obras vergonhosas do pecado e, com isso, entender melhor a sua natureza e o tipo de preço que foi pago por ele. As obras do pecado estão listadas várias vezes pela Bíblia (Gálatas 5.19-21; Apocalipse 21.8, 27; 22.15) nos dando um entendimento da podridão do que é o pecado.

Aquele ser que foi feito pela própria mão de Deus na Sua própria imagem (Gênesis 1.27; 2.7), o superior de tudo que achava na terra (Hebreus 2.7,8) é agora, pelo pecado, um adúltero e homicida (II Samuel 11.4,17; 12.4,7) e aquilo que acha uma alegria entregar o Filho Unigênito de Deus por dinheiro (Zacarias 11.12; Mateus 26.15). Foi o pecado que trouxe este ser glorioso a ser uma vergonha (Provérbios 14.34) e ter nenhum traço da glória de Deus (Isaías 64.6; Romanos 3.23, “destituídos estão da glória de Deus”).

Aquele ser criado pela mão divina na imagem de Deus, que gozava da voz do SENHOR que passeava no jardim pela viração do dia (Gênesis 3.8; Provérbios 8.31), por causa de um único pecado (Gênesis 3.6), tornou-se um inimigo abominável contra Este mesmo benigno e poderoso Deus, chegando a negá-lO (Jó 21.14; Salmos 10.4; 14.1; Provérbios 1.25; Romanos .21, 28) e se tornou impossibilitado em agradar Ele nem entender a Sua palavra (Romanos 8.6-8; I Coríntios 2.14).

Aquela criação nobre em cujo coração foi escrita a lei de Deus (Romanos 2.14,15), agora, por causa do pecado, vive diante de Deus sem lei (Oséias 8.12; Romanos 1.21, 28) fazendo somente o que se acha correto aos seus próprios olhos (Deuteronômio 12.8; Juízes 17.6; Provérbios 21.2).

O homem que o digno Deus fez na Sua própria imagem (Gênesis 1.27) agora, pelo fruto podre do pecado, resiste o Espírito Santo (Atos 7.51; Romanos 7.21-23; Gálatas 5.17), é contra a soberania de Deus (Romanos 9.18-20; Apocalipse 16.21) e resiste a mensagem de Cristo (Deuteronômio 32.15; Provérbios 1.25; Jeremias 32.33; Atos 7.54; 13.50) como resiste o próprio Cristo (Salmos 2.3; Mateus 27.20-26).

Versículo para Memorizar: Mateus 15.19, “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.”

Foi por causa de pecado que o homem que Deus fez reto e bom se tornou a ser maldito e cheio de astúcias (Gênesis 1.31; Eclesiastes 7.29). O homem, por ser criado por Deus, tem um dever de temer, honrar, obedecer e dar glória a Deus (Eclesiastes 12.13; Apocalipse 4.11) mas, agora, por causa do pecado, é servo de Satanás e da sua própria concupiscência (João 8.44; Romanos 6.16; II Timóteo 2.26).

Em vez de dar ao Criador toda a honra que lhe é devida, o homem pecador anda com atitude de auto-suficiência (Gênesis 11.4; Daniel 4.30; I João 2.16, “soberba da vida”).

Uma conseqüência do pecado na criação de Deus feita para O dar glória é entendida pois agora essa criação anda em completa estupidez, pois tal criação gloriosa de Deus ridiculariza a mensagem da salvação (I Coríntios 1.23) e de tudo o que é santo (I Pedro 4.4).

O efeito do pecado é visto em que aquilo que o Deus santo criou, mata os que eram santos (Atos 7.54; 9.1,2) e menospreza as misericórdias e as benignidades divinas (Romanos 2.4).

O pecado trouxe o homem a desejar mais as trevas (João 3.19), a podridão e a imundícia (II Pedro 2.22, vômito e espojadouro de lama) do que a gloriosa luz.

Foi o pecado que fez aquele que foi feito para gozar a presença de Deus com a vida eterna chegar a conhecer a morte e a separação de Deus (Gênesis 2.17; 3.22,23; Romanos 6.23) e causou que este homem tornasse uma afronta à santidade de Deus (Judas 14,15).

O significado do pecado é claramente entendido quando os efeitos do pecado são examinados. Estes efeitos deploráveis do pecado não são reservados para alguns dos homens, mas são parte integralmente de todos os homens no mundo todo (Romanos 3.23; 5.12). Se pelos frutos a árvore é conhecida, então pelas conseqüências do pecado a sua natureza abominável é entendida.

Versículo para Memorizar: Mateus 15.19, “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.”

17.1. A pecaminosidade do estado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão (1), a falta de justiça-própria (2), e a corrupção da natureza toda, que é chamado comumente de pecado original (3), juntamente com todas as transgressões que procedem dele (4).

Romanos 5.19, “Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos.”

17.2. A pecaminosidade do estado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão (1), a falta de justiça-própria (2), e a corrupção da natureza toda, que é chamado comumente de pecado original (3), juntamente com todas as transgressões que procedem dele (4).

Romanos 3.10, “Como está escrito: Não há um justo, nenhum sequer.”

17.3. A pecaminosidade do estado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão (1), a falta de justiça-própria (2), e a corrupção da natureza toda, que é chamado comumente de pecado original (3), juntamente com todas as transgressões que procedem dele (4).

Efésios 2.1, “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados.”

17.4. A pecaminosidade do estado em que o homem caiu consiste na culpa do primeiro pecado de Adão (1), a falta de justiça-própria (2), e a corrupção da natureza toda, que é chamado comumente de pecado original (3), juntamente com todas as transgressões que procedem dele (4).

Mateus 15.19, “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.”

O pecado não merece tolerância, mas horror!

Se não conhecer o Salvador, saiba que a salvação do pecado não é através das obras do próprio pecador ou de outro pecador. A salvação do pecado é restritamente por Aquele que Deus em amor deu, ou seja, o Seu Unigênito Filho, Jesus Cristo. Se estiver oprimido pelo seu pecado, a mensagem da Bíblia é Vinde a Jesus (Jo 3.16; Mt 11.28-30; Ap 22.17)!

Se já conhece o Salvador e a graça que superabundou por Jesus Cristo onde o seu pecado abundou, não é dúvida que se deseja ser agradável ao Senhor. Seja santo como é Santo aquele que te salvou. Quando pecar, corra a Deus confessando os pecados, reivindicando o sangue de Cristo e procurando aquela graça para ser feito ainda mais conforme a imagem de Cristo.

Compilado pelo Pastor Calvin Gardner
Correção gramatical: Edson Elias Basílio, 04/2008 e
Robson Alves de Lima 11/2011 Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Published inBíbliaCatecismo de C. H. Spurgeon

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!