Skip to content

Estudo sobre Gênesis 39

[Índice]

INTRODUÇÃO

Que contraste tem o comportamento e caráter de José comparado ao que vimos de Judá no capítulo anterior. Deus tem sempre pessoas fiéis lhe servindo, mesmo em épocas em que o pecado parece deixar tudo obscuro.

I. O JUSTO É ABENÇOADO – VERSÍCULOS 1-6.

Os irmãos de José não tinham nenhum motivo para tratá-lo daquela maneira, a não ser o ódio e a inveja. Que alegria sabermos que qualquer maldade que os homens intentarem fazer contra nós, acabam sendo somente instrumentos para que Deus execute Seus propósitos para o nosso bem [Salmo 105:16-19].

Que coisa maravilhosa foi a fidelidade deste jovem. Ele não podia entender porque tudo aquilo estava acontecendo. Ele estava longe de casa e da adoração pública a Deus. Nenhum pai ou pastor estava presente para vigiá-lo, no entanto, ele permaneceu fiel a Deus. Até mesmo os pagãos que o rodeavam podiam ver que Deus estava com José [vers. 3]. Sua história nos faz lembrar de Daniel e seus três amigos Hebreus. Que bom testemunho José dava! O seu mestre sabia que ele era diligente, honesto e totalmente confiável.

Vamos observar rapidamente algumas razões porque Deus permitiu que José fosse trabalhar para Potifar. Normalmente ficamos impacientes quando Deus age de uma maneira que nós não entendemos. Isto nos ajudará a ver que Deus sempre tem razões para o que Ele faz.

A. Ao trabalhar para Potifar, José se familiarizou com os costumes e a língua Egípcia. Isto seria útil para ele mais tarde.

B. José pode aprender administração, enquanto cuidava dos negócios de uma grande fazenda. Não há dúvidas de que esta experiência foi de valor inestimável quando ele foi promovido pelo Faraó.

C. José aprendeu a respeitar o perigo da tentação, e ficou fortalecido para enfrentar conflitos futuros. Andar em lugares escorregadios nos torna mais cautelosos.

D. José foi lançado na prisão onde encontraria o padeiro e o copeiro de Faraó. Na providência de Deus isto serviu para promovê-lo.

Muitos dos conflitos na vida do Cristão servem de preparo para serviços futuros. Deus molda e dispõe os Seus soldados, e somente Ele é quem tem e entende o panorama geral dos planos. Muitas vezes nos sentimos abandonados por Deus, quando na verdade estamos simplesmente num período de treinamento [Tiago 1:2-3].

II. TENTAÇÃO – VERSÍCULOS 7-20.

José era um homem formoso [vers. 6]. Ao crescer em autoridade e competência, a mulher de Potifar começou a ter uma atração por ele. O padrão moral das mulheres Egípcias era muito baixo. Esta mulher, de origem pagã, era bruta e não tinha pudor nenhum em mostrar suas intenções.

Note que prova terrível foi esta situação para José:

A. Ele era jovem e solteiro [II Timóteo 2:22].

B. As investidas desta mulher, que ocupava uma posição de destaque, era uma lisonja.

C.A situação poderia, sem dúvida, ter sido usada para enriquecer ou dar uma posição de poder a José. Talvez esta mulher tenha insinuado isto. Um romance com ela, daria a José o controle sobre Potifar.

D. A moral dos Egípcios era tão baixa, que talvez ninguém olhasse para José como alguém que estivesse cometendo alguma coisa errada ou inesperada.

José, entretanto, permaneceu firme. É evidente que este homem tinha uma comunhão íntima com Deus. Veja a sabedoria que ele demonstrou:

1. Enquanto José resistia firmemente, ele foi cuidadoso em não repreender ou insultar esta mulher, pois até certo ponto, ela ocupava uma posição de poder.

2. Ele reconhecia o adultério como um roubo daquilo que pertencia a outro homem [vers. 9, Êxodo 20:17].

3. Ele reconhecia que o adultério era um grande pecado contra Deus [vers. 9].

4. Ele não somente se recusou a ser seduzido por ela, como também flertar com a tentação. Muitos sucumbiram a tentação não porque planejaram isto, mas porque não se desviaram do mau caminho [Romanos 13:14].

5. Quando a tentação o assaltou, ele fugiu rapidamente [I Coríntios 6:18]. Que contraste foi a vida de José comparada com a vida de Judá e de outros [Provérbios 7:6-27].

Vamos observar outras coisas também: Nós, como Cristãos, muitas vezes esperamos bênçãos imediatas quando resistimos ao mal e obedecemos a Deus. A heróica permanência de José diante de Deus, entretanto, o levou a prisão. A mulher de Potifar era realmente uma “mulher desprezível”. Suas mentiras enfureceram Potifar, embora não podemos saber até que ponto ele realmente acreditou em tudo isso. O ódio freqüentemente segue no calcanhar da luxúria.

Aprenda que nesta vida a retidão nem sempre recebe recompensa imediata. Fazer o que é correto pode trazer perseguição [Mateus 5:10]. No entanto, não precisamos ficar desesperados, pois as nossas provações são apenas uma forma de Deus nos preparar para as futuras bênçãos. José não somente foi fortalecido pela sua resistência ao diabo [Tiago 4:7], como também foi colocado em uma posição que lhe traria bênçãos no futuro. Nós nem sempre entendemos, mas devemos sempre confiar. Vamos lembrar que o salário da obediência não é tão alto quanto o salário do pecado. Se José tivesse falhado, certamente atrairia muita miséria para a própria vida dele.

III. PRISÃO – VERSÍCULOS 21-23.

Deus pode cuidar do seu povo mesmo na prisão. Até mesmo o coração dos carcereiros está na mão de Deus. Bem cedo este homem viu a honestidade, sabedoria e confiança de José. Podemos ver José, mais uma vez, ser elevado a uma posição de autoridade.

Que a nossa maneira de viver possa mostrar a todos que a nossa vida está nas mãos de Deus. E que também possamos aprender que Deus tem um plano para nós, e que o sucesso vem dEle. Assim como José, vamos confiar mesmo quando não podemos entender. Vamos servir a Deus aonde quer que Ele nos coloque.

Published inGuia de estudo para Gênesis

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!