Skip to content

Estudo sobre Gênesis 17

[Índice ou e-book]

INTRODUÇÃO

No capítulo 15 de Gênesis nós vimos que a aliança que Deus fez com Abraão era incondicional. Isto é novamente ilustrado no capítulo 17. Nem as falhas de Abraão, nem sua falta de fé, ou mesmo o passar dos anos, mudaram a intenção de Deus de manter a Sua palavra.

I. O DESVIADO É REPREENDIDO – VERSÍCULOS 1-2.

Quando Abraão estava com oitenta e seis anos, Ismael nasceu. Esta criança foi o produto da falta de fé e sabedoria carnal. Após isto, treze anos se passaram, e não há nenhum registro de que Deus tenha se comunicado com Abraão neste período. A maior benção que podemos ter na vida é a comunhão com Deus, mas o pecado e o descuido podem levar os santos a se desviarem por longos períodos de tempo. Os Cristãos podem viver no pecado por um tempo (Salomão, Davi), ou simplesmente passar por longos períodos de secura espiritual (Ló).

Afortunadamente estes períodos não são permanentes. Deus sempre traz de volta estas ovelhas desgarradas, para que novamente tenham comunhão íntima com Ele. Finalmente Deus repreende Abraão e o restaura a Sua comunhão [Salmo 23:3, Hebreus 12:6].

Veja as palavras de abertura que Deus falou a Abraão:

A. “Eu sou o Deus Todo-Poderoso“. Aqui Abraão é repreendido por não confiar no poder de Deus. Foi esta falta de confiança que o levou a se casar com Agar. O Todo-Poderoso não necessita de planos e sabedoria carnais para ajudá-lO.

B. “Anda em minha presença e sê perfeito“. Não há dúvidas de que esta foi uma repreensão pelo seu pecado de treze anos atrás.

C. Versículo 2 – Deus mostrou a Abraão que os treze anos que se passaram não impediram os Seus planos. Deus permitiu que Abraão e Sara envelhecessem para que o Seu poder fosse engrandecido no nascimento de Isaque [Romanos 4:18-20].

II. A ALIANÇA É NOVAMENTE CONFIRMADA – VERSÍCULO 8.

Enquanto Deus falava, Abraão caiu sobre o seu rosto. Isto foi um ato de humildade e contrição. Enquanto ele estava inclinado, o Senhor continuou a falar e confirmar as promessas que Lhe fizera anteriormente. Não é marcante quantas vezes Deus explicou a aliança para Abraão [Gênesis 12:1-3; 6-7; 13:14-17; 15:1-5; 18-21]? Não vemos isto também no Novo Testamento? Isto não é também um testemunho de como o coração do homem é vagaroso em crer, e também da intenção de Deus em manter a Sua palavra?

Note também quantos sinais e selos Deus deu de Suas promessas. Na nossa lição o nome de Abrão mudou para Abraão, o qual significa “Pai de uma multidão”. Que nome para um homem de noventa e nove anos que ainda não havia se tornado pai do filho prometido. Somente Deus pode fazer tais promessas. Ao contemplarmos estas promessas, não somos convencidos de que Deus ama encontrar fé nos corações de Seus filhos? Não é este o motivo que O leva a tratar conosco baseado em promessas? A nossa salvação é recebida através da fé na promessa do evangelho. Nada pode glorificar a Deus como a fé.

III. A CIRCUNCISÃO – VERSÍCULOS 9-14.

A prova da aliança com os descendentes físicos de Abraão seria a circuncisão de todos os meninos. Qualquer um que não passasse por isso, seria cortado da aliança. A razão porque a circuncisão foi escolhida como um sinal desta aliança é muito difícil de entendermos. Nós sabemos que a circuncisão é muito usada como uma figura do arrependimento espiritual e submissão a Deus [Jeremias 4:4; Deuteronômio 10:16 e 30:6]. Talvez a idéia seja de que a depravação era passada através da procriação humana, e sendo assim, haveria a necessidade das futuras gerações serem limpas por Deus. (No Novo Testamento nós lemos que havia alguns homens que ensinavam que a circuncisão fazia parte da salvação. Eles falhavam em observar que Abraão foi salvo pela fé antes de sua circuncisão).

IV. O NOVO NOME DE SARAI – VERSÍCULOS 15-18.

Aqui o Senhor explica que a semente prometida viria através de Sarai. Ela foi aquela que havia pensado que o Senhor necessitava de ajuda [Gênesis 16]. Agora treze anos mais tarde, Deus afirma que Sarai iria ser mãe. Como um selo disto, Deus mudou o nome dela para Sara, que significaPrincesa. A risada de Abraão no versículo 17, era provavelmente o resultado de maravilha e não de descrença. O pedido dele no versículo 18 era conseqüência do seu amor natural por Ismael. Ele não queria que Ismael fosse ignorado nos planos de Deus. A oração do versículo 18 não deveria estar nos corações de todos os pais Cristãos?

V. AS PALAVRAS FINAIS DE DEUS – VERSÍCULOS 19-22.

Três coisas foram ditas a Abraão antes do Senhor partir:

A. Não importa quão inacreditável isso possa parecer, mas Sara terá um filho. Este filho deverá ser chamado de Isaque, que significa “risada”. Isto seria para relembrar Abraão do poder e da fidelidade de Deus [vers.17].

B. A aliança de Deus seria com Isaque, o filho da promessa, não com Ismael que foi o filho gerado pela sabedoria carnal.

C. Por causa de Abraão, Ismael seria abençoado. Há poder na intercessão feita pelo povo de Deus [Compare o vers.18 com o vers.20].

VI. OBEDIÊNCIA – VERSÍCULOS 23-27.

A obediência de Abraão foi imediata e total para com Deus. Pense na prova que isto deve ter sido para ele nesta idade. Centenas de outras também estavam envolvidas. Somente uma grande fé torna possível a obediência. Verdadeiramente Abraão tinha sido espiritualmente restaurado.

Published inGuia de estudo para Gênesis