Skip to content

Capítulo 24: Providência – I

[Índice]

O politeísmo, o triteísmo, o dualismo, o monoteísmo e o ateísmo são termos religiosos que expressam várias crenças da humanidade em relação a Deus. O politeísmo é a doutrina de muitos deuses; o triteísmo é a crença que existem três deuses; o dualismo é o ensino que diz que a terra está sujeita a duas forças opostas; o monoteísmo é a crença em um só Deus e ateísmo ensina que não existe Deus. Estas diversas crenças testificam o triste fato da depravação do homem, e provam que a mente humana encontra-se obscurecida ao que diz respeito ao Deus verdadeiro. Se eu não fosse um crente com a Bíblia para me guiar, provavelmente seria um dualista. Ao redor de mim vejo um mundo em conflito. Vejo duas forças opostas, uma para o bem, a outra para o mal. Ou talvez fosse um ateísta como resultado de minha razão, pois aparentemente não existe um ser supremo. Ninguém parece estar no domínio, antes, muitas forças parecem estar competindo para o controle do mundo. Cada vez que uma pessoa começa a raciocinar, independentemente das Escrituras, ele faz a pergunta: Se existe um Deus que é bom e Todo poderoso, porque Ele não triunfa sobre o mal? Por que este Deus não mata o diabo? Porque Ele não faz cessar as guerras? E assim por adiante, infinitamente.

O crente crê porque tem consigo a Bíblia e uma experiência interna certa. E Deus é o autor de ambos. A Bíblia é a revelação objetiva ou externa de Deus e a experiência é Sua revelação interna. A Bíblia, sem a experiência interna (experiência da salvação) jamais fará de alguém um crente. Ao mesmo tempo, uma experiência religiosa que não concorda com a Bíblia é falsa e perigosa. Saulo de Tarso era religioso, muito antes de ser crente, e pensava ser seu dever fazer muitas coisas contrárias a Cristo. As pessoas podem ser sujeitas ao espírito do maligno tanto quanto ao Espírito Santo. Paulo julgava os tessalônicos como sendo eleitos de Deus, “Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo”. 1 Tessalonicenses 1:5. Como crente, possuidor da Bíblia, sou monoteísta, crente no único e verdadeiro Deus vivo que é o Supremo Absoluto.

As religiões monoteístas são: o judaísmo, o Islamismo, e o cristianismo, e todos os três possuem, pelo menos em parte, a Bíblia. Portanto, aparentemente ninguém será monoteísta sem a Bíblia. O homem é um ser religioso por intuição, mas ele não é monoteísta por intuição. A idéia de um só Deus é doutrina revelada somente na Bíblia. Os atenienses cultos e educados dos dias de Paulo criam na pluralidade dos deuses. E muitos dos intelectuais do nosso século foram ao extremo oposto, dizendo que não existe Deus. Assim vemos que as crenças dos homens vão de muitos deuses a nenhum Deus.

QUEM CONTROLA O MUNDO?

Existem quatro opiniões distintas quanto aos acontecimentos deste mundo – quatro teorias sobre como tudo veio a existir. Há a opinião que diz que tudo acontece segundo as leis fixas da natureza. Os que crêem desta maneira são os racionalistas que não crêem em nada que não possa ser explicado pelos fundamentos naturais. A fé deles vem pelo microscópio ou pela observação do tubo de ensaio. Há também a opinião que diz que tudo acontece pela sorte ou pelo azar. De acordo com esta teoria nada é fixo e é tão possível que uma coisa aconteça quanto outra. A terceira idéia é que tudo acontece pela força impessoal do destino. E finalmente, há o ponto de vista cristão ensinando que tudo o que acontece é pela providência de Deus. De acordo com esta idéia, o Criador é o Administrador.

DEFINIÇÃO

Pode-se definir a providência como o governo de Deus sobre Sua criação. O governo de Deus nos negócios do mundo é assunto de grande importância para o crente, pois com uma visão apropriada da Providência, o crente aprenderá a procurar e ver o coração e as mãos de Deus em todas as experiências. Ele não falará como os filisteus incircuncisos quando disseram: “Isto nos sucedeu por acaso”. 1 Samuel ¨6:9. Mas como Jó, ele dirá: “O Senhor o deu, e o Senhor o tomou”. Jó 1:21.

Deus não Se encontra desocupado. O Salvador disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”. João 5:17. Deus está sempre a postos. Ele não é como o jogador de futebol que precisa descansar e planejar as táticas para o segundo tempo. Ele não é como o fazendeiro que necessita de descanso e alimento para poder trabalhar no dia seguinte. Ele não é como o lutador que precisa ser massageado e tratado entre um round e outro. Nosso Deus jamais conheceu o cansaço ou a emergência. Ele nunca Se encontra exausto de idéias; Ele é o único Ser qualificado para governar Sua criação.

Existem muitos que talvez pensem que Deus poderia melhorar Seu modo de governar o mundo. Os homens talvez propusessem mudanças. Muitos talvez pensem que é tempo de renovar. Alguns, talvez, aconselhassem a morte de Satanás, e que homens como Hitler fossem postos de lado e substituídos pelos que amam a paz. Deus é o Todo-Poderoso e está no controle, Se quisesse, Ele poderia fazer tudo isto e muito mais, mas ninguém vai Lhe dizer o que fazer. Ele faz tudo segundo o conselho de Sua própria vontade. Efésios 1:11.

Se Deus não está governando o mundo, quem está? Pelo que é aparente, talvez disséssemos que fosse o diabo. Ou talvez disséssemos que o mundo é controlado pelos políticos, ou mesmo pelos grandes empresários. Não há dúvida de que a intenção de Hitler era a de governar o mundo, para que todos contribuíssem para sua própria glória e a de sua raça superior. É óbvio que há muita competição pelas posições de autoridade. O desejo de poder é evidente por toda parte. Admite-se que o Diabo e os homens têm seus lugares e fazem suas obras, mas acima de tudo, Deus está no Seu trono fazendo com que mesmo a ira dos homens O louve. Salmo 76:10. Os homens decretam, mas Deus anula.

Se o Criador não governasse o mundo, qual seria o motivo? Seria por um destes dois motivos: porque Ele não quer, ou porque é incapaz. O homem que pensa terá que admitir que Deus está governando o mundo, pois se não está, Ele estaria desinteressado ou teria perdido Seu controle sobre a criação. Os homens perdem o domínio sobre as obras de suas próprias mãos. Um homem pode ser morto pelo avião que ele mesmo constrói. Ele se envenena com os medicamentos que produz. Uma mãe pode ser envergonhada por um filho ou filha, nascido dela. Mas Deus não corre nenhum perigo por causa de Sua criação. Jamais será envergonhado por qualquer de Suas criaturas, pois todos quantos se Lhe opõem serão envergonhados e arruinados eternamente.

O TIPO DE MUNDO QUE DEUS ESTÁ DIRIGINDO

Entenderemos e apreciaremos melhor a Providência divina se olharmos ao mundo que Deus controla. Há neste mundo um Diabo, e o Diabo tem mais popularidade entre os cidadãos de que mesmo Deus, o Criador do mundo. Satanás é chamado “o deus deste século” e o “príncipe deste mundo”. No alvorecer da história humana, nossos primeiros pais por vontade própria, se rebelaram contra Deus e se tornaram aliados de Satanás. Transferiram sua lealdade do Deus da verdade ao pai da mentira. Jesus Cristo disse aos hipócritas de Sua época que eles tinham por pai ao diabo, e que faziam sua vontade. E Paulo nos diz que os perdidos deste mundo têm suas mentes vedadas pelo deus deste mundo. 2 Coríntios 4:4.

Porém, é preciso lembrar que Satanás opera pela tolerância de Deus. Ele é tolerado, mas não apoiado por Deus. Suas atividades são limitadas e ordenadas para fins divinos. Ele teve que obter permissão de Deus antes que afligisse Jó ou cirandasse a Pedro.

O mundo que Deus dirige está cheio de homens e mulheres depravados. Todo homem, à parte da graça de Deus, é inimigo de Deus. Paulo diz que a mente carnal despreza a Deus. Romanos 8:7. Ninguém, senão os renascidos, ama ao verdadeiro Deus. 1 João 4:7. Ouça o que veio dos lábios do Deus em forma humana: “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas as coisas que contaminam o homem”. Mateus 15:19-20.

O mundo que Deus controla está cheio de anjos caídos e de espíritos demoníacos. Paulo diz que os sacrifícios dos ímpios são feitos aos demônios e não a Deus. 1 Coríntios 10:20. E em Efésios 6:11, Paulo nos exorta a vestirmos a armadura completa de Deus: “Porque não temos de lutar contra a carne e o sangue, mas, sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. Efésios 6:12.

Agora já devemos ser capazes de ver que Deus não está dirigindo este mundo da mesma maneira que o dirigiria se não houvesse outros nele, a não ser as pessoas boas, pessoas que O amassem, e se deleitassem na Sua vontade. Nossas prisões não são dirigidas do mesmo modo que nossos orfanatos. A terra não está sendo dirigida como se fosse o céu, embora seja Deus quem dirija a ambos.

A NATUREZA DA PROVIDÊNCIA

1. ELA É MISTERIOSA. Tudo parece estar em desordem e confusão. O mundo parece ser um grande campo de batalha de vontades opostas, sem ordem nem plano, tudo é só conflito. Aparentemente, não há ordem no movimento das abelhas de cá para lá, mas se examinarmos o mel, veremos um plano, um arranjo e ordem. Do mesmo modo que as abelhas guardam o mel para tempos de necessidade, mas são colonizadas pelo homem para o seu proveito próprio, assim também os homens planejam e trabalham, mas ao mesmo tempo estão sob o domínio da infinita sabedoria de Deus para Sua própria honra e glória.

Deus nos diz que não podemos entender o Seu tratar conosco. O salmista diz que os julgamentos de Deus são profundezas grandes. Paulo declara que Seus julgamentos são insondáveis e Seus meios além da nossa compreensão. A providência é misteriosa e causa perplexo, pois o Deus da Providência é além da compreensão das nossas mentes finitas. Portanto Seus meios são profundos demais para o nosso entendimento. Temos que acreditar no que Ele diz e crermos que Ele é sábio demais para errar, e bondoso demais para afligir aos Seus filhos sem motivo. Estamos num tempo de perplexidade e muitos corações clamam: “Por que Deus não faz alguma coisa”? Bem, querido coração, Deus está fazendo algo, mas nós não entendemos os Seus meios. Temos que andar pela fé que Ele não falha em Suas obras. Lembre-se, estimado leitor, que Deus tem a chave de todos os problemas da vida.

2. A PROVIDÊNCIA É MINUCIOSA E EXATA. Ela abrange todas as coisas, tanto as pequenas quanto as grandes. Já se explicou a Providência como a atenção de Deus concentrada em toda parte. O homem é finito e tem limites tais que sua atenção só pode ser concentrada em uma coisa, em um lugar, de cada vez. Deus é infinito em espaço, poder e saber e, pode assim Se concentrar em tudo, em todo lugar. Sua providência é microscópica como também telescópica. Deus se interessa pelos cabelos da nossa cabeça e pela queda do passarinho. Um pregador, certa vez, chamou a atenção de sua congregação, que a Bíblia diz que os seus cabelos são numerados, mas parecia que muitos nem pensavam que suas cabeças eram numeradas.

(1) Deus está no controle da matéria inanimada. As Escrituras abundam em ilustrações a este respeito. Deus disse: “Haja luz, e houve luz”. E outra vez: “Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca. E assim foi”. Pela Palavra de Deus as águas do Mar Vermelho se separaram e se levantaram como muralhas, voltando ao estado natural ao serem ordenadas. Pela Palavra de Deus a terra abriu sua boca e engoliu Coré e seus companheiros de rebelião. Pela Sua Palavra as chamas da fornalha babilônica não tocaram Seus servos fiéis. Os elementos da terra estão sob Seu controle. Ele faz chover. Ele traz a fome. Ele dá a ceifa ou a nega.

(2) Deus tem poder sobre as criaturas irracionais. Ele criou as feras e as trouxe para serem nomeadas por Adão. Ele fez entrar na arca de Noé dois de cada espécie imunda para a conservação das espécies, e sete pares de cada animal limpo para prover os sacrifícios que Noé faria. Seu controle sobre a vida irracional foi demonstrado nas pragas que caíram sobre o Egito. Ao Seu mandado as nuvens de moscas invadiram os lares egípcios, ao passo que os lares hebraicos não conheceram tal praga. Pela Sua vontade o Egito encheu-se de rãs e de gafanhotos. Daniel foi lançado na cova dos leões, mas a boca deles foi fechada e não tocaram em Daniel. Deus abriu a boca da jumenta para repreender a Balaão. Jonas não queria ser missionário ao estrangeiro, embarcando, portanto, num navio para Társis. Deus levantou os ventos e quando os marinheiros lançaram Jonas às águas, Deus já tinha preparado um grande peixe para transportá-lo à Nínive. E fez com que o peixe o vomitasse na praia. Foi pela vontade de Deus que o galo cantou três vezes no momento exato que Deus avisara a Pedro do que haveria de acontecer. “O Senhor tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu trono domina sobre tudo”. Salmo 103:19.

(3) O controle de Deus estende-se aos homens… a todos os homens, ao bom e ao mau. Não é difícil ver que Deus controla o bem; difícil é ver Seu controle sobre tudo e todos, sobre o mal tanto quanto sobre o bem.

Deus permite o pecado porque Ele pode subjugá-lo para Sua honra e glória. Deus não é o autor do pecado, mas é Ele que o controla e governa para cumprir a Sua vontade. Agostinho tem uma ótima palavra concernente a isto: “O pecado dos homens procede deles mesmos; que ao pecar eles cometem esta ou aquela ação, mas é Deus que controla as trevas de acordo com seu prazer”.

Deus não é a força causadora, mas diretora nos pecados dos homens. Os homens são rebeldes, mas não estão fora do Seu controle. Os decretos divinos não são a causa da necessidade do pecado dos homens, mas são os limites e a direção predeterminada e prescrita das ações pecaminosas dos homens. Um irmão inglês, P. W. Heward, diz o seguinte sobre este assunto: “Os desejos para pecar são dos homens; o homem é culpado. Mas o Deus onisciente impede estes desejos de produzirem ações indiscriminadamente. Deus faz com que estes desejos tomem certos caminhos dirigidos por Ele. As inundações de perversidade vêm dos corações dos homens, mas não têm permissão de cobrir a terra; são controladas nos canais das determinações divinas, e os homens sem saberem, são assim limitados de maneira que nenhum til do propósito divino falhe. Ele traz os dilúvios dos perversos para dentro de Seus canais a fim de virarem o moinho de Sua vontade”.

UMA DOUTRINA PRÁTICA E DE CONFORTO

É uma alegria saber que Deus, nosso Pai celestial, está governando este mundo. A verdade que encontramos em Romanos 8:28 não seria possível, se Ele não estivesse no controle. Ele pode e assegura que tudo opera para o bem de Seus filhos.

Qual a pressa, se Deus é o guia? Por que preocupar-se se Deus auxilia?

Vejamos esta ilustração: Temos um fazendeiro que possui uma grande fonte em suas terras.. uma corrente de água que destruirá suas terras se deixada a sós. A corrente pode ser dirigida por cursos ou pode ser parada por um tampão no olho d?água. Esta fonte pode ser de benefício se a água for controlada. As águas são captadas por um curso feito pelo fazendeiro, e as mesmas águas que o ameaçavam agora o servem. Através de canos e tubos ele leva a água a sua casa e ao estábulo A água é levada para as plantações nos tempos de seca. Qualquer que seja a necessidade a água pode ser encanada para servir à esta necessidade. Do mesmo modo, o coração humano é uma fonte de iniqüidade. Se Deus não o controlasse, Seus propósitos seriam destruídos e Seu governo seria derrubado. Portanto, Ele faz passar a corrente por canais e tubulações do Seu propósito. E o que Ele não usa para sua glória é restringido. “Certamente a cólera do homem redundará em teu louvor; e o restante da cólera tu o restringirás”. Salmo 76:10.

Um canal da fonte do pecado foi ao Calvário. O pecado humano é visto no seu estado mais grave quando os homens cravaram o Senhor da glória sobre o madeiro. E, mesmo assim, o propósito de Deus foi cumprido. A morte do Filho perfeito de Deus exigia grande abundância de pecado, mas o coração do homem superabundava em pecado e foi igual à exigência. Deus, portanto, guiou o ódio humano em tal direção. Ele acertou todos os detalhes a respeito da morte de Cristo. Ele haveria de ser crucificado entre dois criminosos? Suas vestes seriam divididas entre os soldados… Seu manto seria o preço de uma aposta… vinagre e fel ser-lhe-iam dados para beber… Seus ossos não seriam quebrados… e tudo aconteceu segundo os planos e profecias de Deus. Atos 4:27-28 voltam à mente: “Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel; para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho tinham anteriormente determinado que se havia de fazer”. Que multidão perversa e poderosa! Mas nada fizeram que não tinha sido determinado por Deus.

Sim, querido filho de Deus, nosso Pai é quem governa. Nossos tempos e nossa vida estão em Suas mãos.

Published inDefinição de Doutrina -- Volume I

Receba nossos informativos!

Cadastre seu e-mail para receber nossas novidades:

Obrigado. Cadastro efetuado com sucesso!